terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

eu tranco
me trancas
yo tranco
io tranquei
tranquei a porta pra todas as mentiras
tranquei a porta pra você
e tranquei a porta pra mim,principalmente
um duelo do meu 'eu' e do meu 'tu'
tranco eles em mim
tranco eles no meu eu
tranco eles em tu e no meu tu
a porta está fechada
eu GRITO!
e você?
você não ouve!
tu finges não ouvir
eu OUÇO!
e me deixo lá.
eu dentro,
você na janela, fora
eu não saiu
eu nao quero sair
tu não entras
o meu eu não quer tu mim dentro
eu pulei a janela,
tu mim já pra dentro!
NÃO CONFIA EM MIM!
eu avisei tu
tu dentro
eu fora,pela janela
paredes separam
eu e tu
meu eu e meu tu
sempre juntos,sozinhos,
separados,unidos,
distantes.
EU QUERO MORRER SOZINHO!

2 comentários:

Julieta Menezes disse...

Rickkkkkkkkkkkkk??Nossa!Gosteiiiii muito deste seu escrito, vc está adquirindo uma linguagem singular, isso é muito bom, já vejo claramente este sentimento.Belo escrito...Parabéns, tu vai longe garoto!haha
Beijão, te adoro!

ranniery disse...

a morte é singular, não é solitária, é pública!

Eu prefiro abrir as portas, o meu eu...

Texto muito bom!